Assim como no blog Fortaleza Nobre, vou focar no resgate do passado do nosso Ceará.
Agora, não será só Fortaleza, mas todas as cidades do nosso estado serão visitadas! Embarque você também, vamos viajar rumo ao passado!

O nome Ceará significa, literalmente, canto da Jandaia. Segundo o escritor José de Alencar, Ceará é nome composto de cemo - cantar forte, clamar, e ara - pequena arara ou periquito (em língua indígena). Há também teorias de que o nome do estado derivaria de Siriará, referência aos caranguejos do litoral.

.

sábado, 8 de fevereiro de 2014

Vereador classista


Nos pleitos municipais antigos, comum era o apelo dos candidatos para conseguir votos em suas classes profissionais ou atividades sociais. Durante as campanhas, intitulavam-se candidatos dos motoristas, professores, ferroviários, garçons, estudantes, radialistas e de atividades outras.

Passadas as eleições, fragorosamente derrotados, constatavam não ter recebido sufrágios dos colegas de profissão.

Bom lembrar a existência da máxima defendente de que toda regra possui exceção. O princípio ocorreu, pelo menos uma vez, em 1958, na Capital.

Tudo começou no Salão Guanabara, barbearia das mais conceituadas e frequentadas, localizada na rua Pedro Pereira, quase esquinando com a da Assunção. O estabelecimento, contando seis artífices, entre eles o proprietário, mestre Zé, e o secretário da Associação dos Barbeiros e Cabeleireiros do Ceará, Vicente Fon-fon, fez-se abrigo de uma ideia original. Lançariam um candidato a vereador, pertencente aos quadros da ABCC. Durante o ano eleitoral realizariam um trabalho diário, com dois colegas de cada barbearia visitando as demais, do centro e bairros de Fortaleza e, em fins de semana, as residências dos colegas. A féria do dia de trabalho dos escalados para a campanha vinha do rateio proporcional feito entre os demais trabalhadores de seus salões. Aos fregueses seria comunicada a existência do candidato, entretanto, sem insistência de pedido de voto, pois associados e seus familiares somariam mais de 2.000 sufrágios. Elegeriam o indicado, tranquilamente, por um partido de legenda menor.

Plano aprovado. O escolhido representante da categoria, integrante da Associação, filiou-se ao Partido Republicano Trabalhista (PRT). Concorreu à vereança, obteve aproximados 1.300 votos e foi eleito.

Na eleição seguinte, para o mandato de 1962 a 1966, esquecido dos iguais, não se reelegeu. A inexistência do maciço apoio da classe causou a derrota.

Candidatos têm profissões, mas tentando representá-las, não obtêm êxitos por exclusividade de voto classista. Salvo ocorra uma segunda exceção.

Geraldo Duarte 
(Advogado, administrador e dicionarista).