Assim como no blog Fortaleza Nobre, vou focar no resgate do passado do nosso Ceará.
Agora, não será só Fortaleza, mas todas as cidades do nosso estado serão visitadas! Embarque você também, vamos viajar rumo ao passado!

O nome Ceará significa, literalmente, canto da Jandaia. Segundo o escritor José de Alencar, Ceará é nome composto de cemo - cantar forte, clamar, e ara - pequena arara ou periquito (em língua indígena). Há também teorias de que o nome do estado derivaria de Siriará, referência aos caranguejos do litoral.

.

sexta-feira, 20 de julho de 2012

Senador Pompeu


Antiga Estação Ferroviária de Senador Pompeu - Arquivo IBGE 1959

Suas origens remontam ao Século XVIII, quando por Sesmaria obtiveram terras os colonizadores Tomé Calado Galvão e Nicolau de Souza, consoante escritura datada de 23 de março de 1723. Essas terras constavam, individualmente, de dois lotes encravados nas margens do rio Codiá, contendo cada uma três léguas de fundo por uma de frente. As primeiras residências formam-se em torno da Casa-Grande, na fazenda pertencente a Tomé Carvalho, nascendo dessas moradias o Arraial do Codiá. Com o desenvolvimento das atividades agropastoris, evoluiu igualmente a estrutura urbana, assumindo o reduto proporções de avançadas perspectivas. 

Antiga Estação Ferroviária de Senador Pompeu - Acervo Osmar Filho

Evolução Política: A elevação do povoado à categoria de Vila ocorreu segundo Lei nº 332, de 3 de setembro de 1896, criando-se também o Termo Judiciário. A elevação à categoria de Município deu-se conforme Lei nº 659, de 22 de agosto de 1901. 
Igreja: As primeiras manifestações de apoio eclesial têm como precedente a edificação da primitiva capela cujo orago dedicou-se em honra de Nossa Senhora das Dores. Freguesia e Paróquia, respectivamente, datam de 2 de junho de 1919, consoante Ato firmado por D. Manuel da Silva Gomes, Bispo de Fortaleza, sendo seu primeiro vigário o padre Lino Aderaldo.

Centro de Senador Pompeu - Foto de Vantuilo Gonçalves

Devido a infra-estrutura ferroviária e localização central, Senador Pompeu, foi uma das cidades cearenses na qual foi instalado um dos Campos de Concentração no Ceará(ou mais conhecidos como os currais do governo) durante a seca de 1932.
O Município de Senador Pompeu conta atualmente com 04 distritos: Engenheiro José Lopes, São Joaquim do Salgado, Codiá e Bonfim.

O caminhão da foto destinava-se ao transporte de passageiros e cargas no interior do Ceará, entre Senador Pompeu e Crateús no ano de 1958. O veículo é um caminhão Chevrolet nacional, sobre o qual foi montada uma carroceria de madeira com dois compartimentos separados. Pertencia à Viação Coelho, de Jader Vieira Coelho e Silva - Arquivo do Memorial Fotográfico do Transporte Coletivo de Passageiros do Ceará

As terras hoje compreendidas no município de Senador Pompeu principiaram a ser povoadas quando da concessão de datas e sesmarias aos desbravadores, pioneiros do Ceará-Grande que levantaram casas de fazenda e dominaram os nativos. Nos séculos dezessete e dezoito inúmeras foram as concessões de terras das margens dos rios Banabuiú e Codiá, feitas pelos capitães-mores. 
Uma das mais importantes foi, sem dúvida, a outorgada aos 27 de março de 1723, pelo
então capitão-mor Manuel Francês, aos desbravadores Thomé Callado Gavão e Nicolau de
Souza.

Nas terras doadas aos dois pioneiros, três léguas para cada um, nas margens do Codiá, ergue-se a atual cidade de Senador Pompeu.

A Rua Santos Dumont em 1946 - Acervo de Vantuilo Gonçalves

A lei nº 332, de 3 de setembro de 1896, que criou o município, cujo território foi desmembrado do de Benjamim Constant, posteriormente Mombaça, criou também o termo judiciário, com a denominação de Senador Pompeu; a povoação humaitá foi elevada à categoria de vila com aquele topônimo.

No governo do Dr. Pedro Augusto Borges, Presidente do Estado, a vila é elevada à categoria de cidade (lei nº 659, datada de 22 de agosto de 1901). Em 1919, por provisão datada de 2 de junho, Dom Manuel da Silva Gomes criou a freguesia sob a invocação de Nossa Senhora das Dores. 


Acervo Osmar Filho

Senador Pompeu, comarca da segunda entrância desde 1948 (lei nº 213, de 9 de junho) passou a ter mais os distritos de Engenheiro José Lopes e São Joaquim do Salgado (ex-povoado de São Joaquim), criados pela lei nº 1.153, de 22 de novembro de 1951, sancionada pelo Governador Raul Barbosa, que estabelceu a divisão administrativa do Estado para vigorar até 31 de dezembro de 1953.

Gentílico: pompeuense ou senadorense

Edifícios que pertenceram a antigos agentes ferroviários em Senador Pompeu, cuja estação foi inaugurada em 2 de julho de 1900. Acervo Osmar Filho

Educação, cultura e turismo

O município contava com o Campus Avançado do Sertão Central-CASC, que pertencia a Universidade Estadual do Ceará-UECE oferecendo cursos de licenciatura plena em Letras, História e Ciências Exatas, mas que por descaso dos poderes públicos municipais da região foi fechado e está abandonado e depredado. Cerca de 13% da população é analfabeta e menos de 0,5% concluiu nível superior (dados do ano 2000).
A cidade possui uma biblioteca, um teatro simples, pertencente à igreja, havia um museu, que foi destruído por vândalos.
A produção cultural é viva e intensa. Sendo uma das cidades que mais se destacam no sertão central e no Estado do Ceará. Há vários grupos de dança de quadrilha, artesões, artistas plásticos, escritores, grupos teatrais, dramaturgos, produtores de trabalhos audiovisuais.
Uma das atrações turísticas é a ponte ferroviária, uma ponte trazida da Inglaterra, e a estação ferroviária.

Senador Pompeu - Ceará - Ponte Ferroviária
Acervo Reinaldo Holanda

Outra atração turística, de cunho religiosa, é a Caminhada da Seca. Uma romaria anual, que há 26 anos acontece em homenagem as vítimas do Campo de Concentração. Esta inicia-se na Igreja de Nossa Senhora das Dores e encerra-se no Cemitério da Barragem do Patu, ao lado do Açude Patu.




Créditos: Wikipédia, IBGE

Um comentário: